O meu caso de amor com Florença

 

Florença sempre esteve nos meus planos, desde que eu consigo lembrar. Para uma amante do Renascimento, de Leonardo da Vinci, Dante e Galileu, nenhum lugar tinha tanto significado pra mim quanto a capital da Toscana. Quando, finalmente, fizemos o nosso roteiro pela Itália (dentro do nosso mochilão, durante o intercâmbio) eu não conseguia mais conter a emoção de pisar lá pela primeira vez (estou ansiosa até pra escrever o post 😅).

Chegamos de noite, pela estação de trem Santa Maria Novella e fomos direto para o nosso hostel. Acho que nem dormi naquele dia. Já peço desculpas antecipadamente pela empolgação exagerada com que escrevo este texto.

Simplesmente cada canto, cada construção, cada paisagem e cada cheiro me transportavam para os livros que eu já tinha lido. Eu fiquei absolutamente embasbacada nos dias em que estivemos lá; mergulhada em meus próprios pensamentos e admirada com tanta história pulsando naquela cidade. Eu só conseguia pensar “Da Vinci pisou aqui”, “Dante sentou nesse banco”, essas coisas de gente que está fora de si.  

Contemplando as ruas de Florença – Foto: Viajante Express

Nós andamos como nunca, aproveitando cada segundo daquele museu a céu aberto. É incrível como a maioria das cidades da Europa são super fáceis de conhecer caminhando. Florença é uma delas, tudo se encontra no centro e, em uma caminhada rápida, você vai de uma atração à outra. Bom, já sabemos que a cidade é o berço do Renascimento, mas e a comida? Só digo uma coisa: por favor, vá ao mercado central! Florença também é um lugar bom para fazer compras (depois de conhecer a cidade toda, ok?); possui lojas conhecidas e variadas e também produtores locais, artesanatos e roupas elegantes. Sem falar na Ponte Vecchio, que antigamente era cheia de açougues, até que os Médici a transformaram em uma rua lotada de joalherias artesanais e medievais, além do tour secreto pelo Corredor Vasariano, repleto de obras de arte. Aiai.

O povo de Florença é gentil e muito culto; acredito que eles preservam muito bem as histórias que existem naquela cidade e reconhecem que o Turismo ajuda a eternizá-las. Como somos o Viajante Express e nossa missão é fazer você aproveitar o máximo de cada lugar e experiência, garantimos que não há necessidade de comprar chip ou liberar dados móveis no celular, porque é super tranquilo se localizar com os mapas que você pode encontrar em qualquer lugar por lá (ou já baixar o seu antes de viajar). Nós fizemos isso e, acredite, não tem erro; em último caso, se você se perder, com certeza acabará conhecendo uma parte importante da cidade, que não estava nos planos.

Aproveite a atmosfera que essa cidade tem, permita-se sentir cada história, cada pintura, escultura, monumento, aroma, sabor, cada detalhe. Contemple, leia sobre os lugares, imagine as ruas cheias de jovens talentosos, prove um gelatto, um expresso, uma pizza! Compre um souvenir, mas, não tenha dúvida, que a maior lembrança de todas, será a sua experiência. Florença tem esse poder sobre as pessoas, sobre mim, pelo menos.  

Ah, não se esqueça de passar a mão no Porcellino (cópia da famosa escultura de javali). Bem no centro de Florença está a Fontana Del Porcellino e, segundo a lenda, para voltar à cidade, você precisa esfregar o focinho dele (por conta disso, o focinho é a única parte dourada de toda a estátua de bronze). Além disso, você pode colocar uma moeda na boca dele, fazer um desejo e, se a moeda cair dentro da fonte, ele se realizará. Óbvio que fiz as duas coisas! Florença, em breve nos encontraremos novamente!

Porcellino – Foto: Viajante Express

Natália – Time Viajante Express

Veja também:

Roteiro de 3 dias em Florença

Um dia na Florença de “Inferno”

Plus Florence – uma hospedagem de ótimo custo benefício 

 

Você gostou? Compartilhe!

Leave Comment